Assalto que não houve

Viaturas da Polícia Militar interromperam o trânsito na principal avenida de Santa Isabel. A notícia era de assalto em andamento com reféns. Não passou de um mal entendido

Segurança Pública Em 10/02/2017 23:26:28

Na manhã desta quinta-feira, 09, a Polícia Militar se mobilizou numa operação de resgate há uma suposta vítima de sequestro, uma proprietária de um estabelecimento comercial na Avenida República, no Centro de Santa Isabel.

Ao chegar no local, viaturas da Força Tática bloquearam as ruas laterais e desviaram o trânsito. Lojistas notaram a movimentação e com medo fecharam as portas. Os PMs conseguiram entrar no estabelecimento que estava fechado, mas lá só encontraram pedreiros trabalhando na reforma do espaço. 

De acordo com o sargento Girão, da Polícia Militar, a ocorrência não passou de um alarme falso. Questionado se foi encontrado algo de ilícito com os trabalhadores, a PM disse que a princípio não, mas que foram feitas buscas no local.

“Fechei a porta da loja por medo, não sabia o que estava acontecendo, apenas fechei. Semana passada a loja de frente com a minha foi assaltada”, revela uma lojista que prefere não se identificar.

Outra comerciante que não quis se identificar diz que a única movimentação na antiga pastelaria, “é de caminhões que ora ou outra estacionam em frente do local para descarregar material de construção ou quando as caçambas são preenchidas pelo entulho da reforma”.

Nestes casos, segundo a PM, não é feito boletim de ocorrência porque tudo não se passou de um alarme falso. “O cidadão fez o certo, percebeu uma movimentação estranha e chamou a polícia e nós agimos com a força que nos cabe para inibir o crime”, finaliza o Sargento.

 

Notícias Relacionadas