Alto Tietê evolui nos indicadores do Plano SP

Mas no Alto Vale do Paraíba, predomina a fase laranja apesar de alguns indicadores positivos

Saúde Em 31/07/2020 20:10:13

Na atualização apresentada ontem (31/07) pelo Governo do Estado, o Alto Tietê tem um dos melhores quadros de evolução da pandemia, com todos os critérios nas cores verde e amarela apesar de concentrar uma das maiores populações do Estado. 

Pelos dados divulgados o Alto Tietê reduziu a ocupação de leitos de UTI para 61,6% e ampliou a oferta de leitos para 16,1 por 100 mil habitantes:  – Há sete dias (24), esses indicadores eram de 64% e 15,7, respectivamente. No parâmetro capacidade hospitalar, a região está na classificação verde, na avaliação do presidente do CONDEMAT, prefeito Adriano Leite.

Nos indicadores de evolução da pandemia, o Alto Tietê teve acréscimo na variação de casos de 0,90 para 1,49. Em internação, a região subiu de 0,90 para 0,95 e, em óbitos, reduziu de 1,01 para 0,70.

Pelos novos critérios adicionados, o Alto Tietê registra média de 43 internações e 9,5 óbitos entre cada 100 mil habitantes, enquanto que as regras de transição da região para a fase verde estabelecem um mínimo de 40 internações e 5 óbitos.

Alto Vale

O Vale do Paraíba se mantem na fase laranja apesar de, em alguns indicadores ser possível classificar para a fase amarela. Foi o que o prefeito de São José dos Campos, Felício Ramuth (PSD) utilizou como argumento para decretar a fase amarela em seu município.

Segundo ele a classificação segue os cálculos e critérios previstos no plano São Paulo, mas de forma mais profunda e em tempo real. São José está localizada no Alto Vale, região atendida pela DRS XVII, que cobre toda a região metropolitana compreendida pelos municípios de Caçapava, Igaratá, Jacareí, Jambeiro, Monteiro Lobato, Paraibuna, Santa Branca e São José.

Nesta região a ocupação dos leitos de UTI para covid-19 está em 65,5 (fase laranja); mas na quantidade de leitos por 100 mil habitantes pode estar na fase verde (55,38). Tem confirmados 9.061 casos, 6.503 suspeitos e 300 óbitos confirmados, sendo 43 entre os dias 22 e 28/7, mesmo período em que contabilizou 415 novos casos confirmados.