Abaixo assinado em busca de melhorias

Moradores do bairro Vila Guilherme criam abaixo assinado para reivindicar melhorias ao bairro que de acordo com eles, está esquecido pela administração municipal

Construção & CIA Segurança Pública Cidades Em 11/12/2015 19:59:17

Reportagem: Bruno Martins

 

Sem área de lazer, iluminação deficitária, calçadas tomadas por mato, lixo e outros detritos, lixeiras transbordando, além de ruas esburacadas, a lista de reivindicações dos moradores do bairro Vila Guilherme em Santa Isabel é gigante e rendeu até um abaixo assinado, que em menos de um mês, recolheu mais de 100 assinaturas. O incentivador do manifesto é Bruno Diego dos Santos, 26, que já cansado de não conseguir respostas para os problemas de seu bairro pretende, em breve, entregar as assinaturas nas mãos do prefeito Pe. Gabriel Bina.   

No abaixo assinado feito por ele, Bruno detalha o abandono do bairro. Na quadra utilizada pelos moradores e por alunos da creche municipal do bairro e do Centro Educacional Infantil (CEI) Vila Guilherme, uma das traves corroídas pela ferrugem está sendo sustentada por um pedaço de madeira. 

Desativado em 2013, o parquinho onde as crianças brincavam tornou-se estacionamento para os carros dos funcionários da creche e da CEI. Alguns pais levam os filhos com suas bicicletas e bolas para brincarem dentro da quadra, único local em que as mães sentem um pouco de segurança em deixá-los, enquanto se dedicam aos afazeres domésticos.

Bruno e os moradores Jeferson Alexandre e Thiago Vasconcelos, ambos com 26 anos, queixam-se de que constantemente enfrentam resistência da caseira da CEI, em acender os refletores da quadra durante as noites para que eles possam jogar bola. A funcionária da Prefeitura é a única que possui acesso aos disjuntores: “Mesmo pedindo educadamente, ela sempre nos ofende. Um total desrespeito”, lamentam.

Quando anoitece os problemas não ficam só entre os que querem se divertir na quadra, mas a iluminação deficitária da rua e a falta de ronda policial, relatada pelos próprios moradores, contribuem para que traficantes comercializem e usem drogas na porta das casas: “Não estamos pedindo nada demais, só queremos que os políticos cumpram com o que nos prometeram no período de eleição. Não temos área de lazer, e mesmo sendo a principal rua de acesso a duas unidades escolares, não temos sequer um asfalto, que também nos foi prometido. Vemos os outros bairros receberem melhorias e nossa vila continua parada no tempo, sem nenhum desenvolvimento”, desabafa Bruno.

Até a publicação desta matéria a assessoria de imprensa da prefeitura não respondeu aos questionamentos da reportagem.