A RESPONSABILIDADE É DE QUEM?

por Camila Britto

Crônicas Em 01/06/2018 17:57:24

Hoje não vamos falar de culpa. Pois a culpa é uma sacola pesada, que ou damos a alguém, ou a colocamos em nosso próprio ombro, e, ainda assim, nada se resolve. Hoje falaremos de coisa diferente, coisa essa muito mais madura, honesta e conscienciosa. Falemos então dela, a responsabilidade. O que posso dizer a seu respeito, é que é mais um conceito no meio de tantos, mas que, quando compreendemos seu verdadeiro significado, somos capazes de mudar nossos pensamentos, ações, e toda nossa vida. 

Se fôssemos comparar a culpa à responsabilidade, poderíamos fazer duas perguntas para cada: “Do que você sente culpa?” e “O que você faz quando sente culpa?”. 

A gente pode sentir culpa por milhares de coisas, pelo relacionamento que acabou, por uma pessoa que se foi e não tivemos tempo para ela, pelos rumos que nossa vida tomou, e até quando algo nos maltrata. E o que nós fazemos sobre isso é no geral se lamentar, se entristecer, se deprimir e acreditar que de alguma forma somos merecedores de tudo o que aparece como consequência dessas ações. 

Chegou a vez da responsabilidade. “Pelo quê você é responsável?” e “O que faz quando é responsável por algo?”.

Percebe que aqui não existe lamentação? Você simplesmente é responsável e ponto, e quando se enxerga comprometido com algo, faz o que deve ser feito sem espaço para pensamentos vitimistas. Se sou responsável por uma equipe no meu trabalho, mesmo com dificuldades farei o que tenho de fazer. Se estou responsável por cuidar de alguém, me esforçarei para desempenhar esse papel da melhor forma. A responsabilidade envolve ação, movimento, iniciativa. E é isso o que a difere da culpa, que nos afunda em sentimentos só nossos. Por isso tantas pessoas ainda preferem morrer com a culpa, a viver com a responsabilidade. 

Se alguém lhe diz “Você é culpado!”, está lhe dando uma sentença definitiva. Se lhe dizem “Você é responsável!”, estão oferecendo a oportunidade de fazer algo com isso. 

Parece simples, mas as pessoas vivem confundindo os conceitos, e deixando a culpa assumir o controle de suas vidas. 

Se parar alguns segundos para pensar, qual é a responsabilidade que tem diante dos problemas de que tanto se queixa? Acredito que seja uma grande responsabilidade. E aí está a boa notícia, pois é possível transformar esses problemas em situações menos desagradáveis ou até em algo muito melhor do que você já imaginou. 

Como última observação, preciso dizer que é injusto e covarde tentar colocar suas responsabilidades nas costas de outrem. O mesmo vale para a culpa, mas estou evitando falar dela, e tentando substituí-la por algo que envolva muito mais compromisso e decisão. 

Parafraseando Confúcio, posso finalizar esses pensamentos com uma reflexão para todos nós: O homem superior atribui as responsabilidades a si próprio; o homem comum atribuiu suas culpas a si e aos outros.  

Façamos diariamente a escolha pela responsabilidade, e assim perceberemos o quanto podemos ser atores de nossa própria existência.