A música é a minha vida

Jovem isabelense conquista uma vaga na Escola Municipal de Música de São Paulo. É a quinta integrante da Orquestra de Metais de Santa Isabel a entrar para uma das mais renomadas instituições de ensino musical da América Latina

Educação Cidades Cultura Em 12/08/2016 15:58:17

Reportagem: Érica Alcântara

 

A prova foi no final do mês de julho, mas só na semana passada Marcela Rodrigues Magalhães soube que passou no teste prático e conquistou uma vaga na Escola Municipal de Música de São Paulo. Integrante da Orquestra de Metais da Emef. João José de Almeida Filho desde o início do projeto há quatro anos, a garota que começou estudando percussão hoje, com 15 anos, brilha na trompa – um instrumento de sopro considerado um dos mais difíceis de se aprender a tocar. 

Edmar Valinhos, maestro da Orquestra, conta que como professor é um orgulho ver que todo o trabalho desempenhado nos últimos anos está gerando frutos e transformando a vida das crianças e adolescentes de Santa Isabel. “Eles aprendem a disciplina, a humildade e a partilha. A música transforma, e muitos que chegam com 6 anos e ainda estão centrados no próprio mundo, aprendem na Orquestra o sentido de viver em comunidade: a compartilhar uns com os outros o que se tem de melhor dentro deles mesmos”.

Marcela é tímida, reluta em tocar se não estiver com a sua turma. Mas fica empoderada quando fala da trompa e já entende que o instrumento que atualmente é seu maior prazer está se tornando a sua profissão. “Eu vou ser música, eu já sou musicista”, diz.

Todos os dias ela treina, o instrumento que pertence à Orquestra e para aperfeiçoar só mesmo a dedicação fez a diferença. “Eu amo a trompa”, diz satisfeita. “Mais que o celular?”, questiona o Maestro. “Muito mais”, ela responde ligeiro.

Hoje, uma trompa nova custa em torno de R$20 mil e, com sorte, Marcela espera cativar um patrocínio. 

A inspiração para fazer a prova na escola que é integrada à Fundação Theatro Municipal de São Paulo veio do Maestro Edmar, referência no município por também ensinar crianças de 6 a 15 anos a ler partituras. Além dos pais Cláudia C. Rodrigues e Alexandre M. Santos fãs do reconhecido talento da filha.

“Quando meu amigo Vinícius Gabriel passou na prova, passar se tornou uma questão de honra para mim”, revela Marcela com determinação. E assim ela foi, Edmar com orgulho diz que seu trabalho vale a pena quando olha para seus alunos e enxerga o tamanho das asas que ele ajudou a criar. “Agora eles voam, transformando Santa Isabel em uma referência nacional da música orquestrada”, finaliza.